O sentimento de culpa é comum a muitos homens, quando vão ao cirurgião plástico para melhorar a aparência devido à calvície. A sensação de excesso de vaidade, acaba fazendo com que muitos pacientes se conformem com as suas “carecas”.

Atualmente, esse preconceito já não é mais tão evidente, haja vista o crescente número de cirurgias de implantes capilares. Essa cirurgia é comum tanto para os homens, quanto para as mulheres, que também sofrem desse mal.

As causas da calvície são variadas e a cada paciente deverá ser tratado de acordo com a sua etiologia. A Alopécia Androgenética (AA) é uma predisposição genética, sendo a causa mais comum, que se inicia após a puberdade.

No entanto, a perda gradual ou repentina dos cabelos pode levar a diminuição da auto-estima e depressão, piorando a qualidade de vida das pessoas. Mais de 90% dos homens apresentam rarefação capilar após a puberdade, e aos 30 anos, 30% doa homens brancos já apresentam um padrão definido de alopecia. Aos 50 anos, este percentual vai a 50%. Nessa doença, os cabelos da região superior da cabeça, sofrem miniaturização até serem completamente destruídos pela Dihidrotestosterona, um metabólito da testosterona.

Tratamentos para calvície

Existem diferentes tratamentos para a Calvície: laser de baixa potência, tópico, via oral e a cirurgia. O ideal é a combinação deles.

A Cirurgia de micro-implantes capilares acabou de vez com os antigos estigmas dos “cabelos de boneca”.

Geralmente realizada com anestesia local + sedação, o cirurgião procede à coleta das unidades foliculares e suas assistentes as refinam ao microscópio, para então serem colocadas nas regiões sem cabelo.

São colocados folículos com 3, 2 e 1 hastes de cabelo, sendo estas, as preferidas para a linha anterior, de forma que elas fiquem menos perceptíveis, e os resultados mais harmoniosos.

Técnicas de implante capilar

  • FUT: A primeira técnica de implante capilar é a FUT, onde retira-se uma tira de couro cabeludo da região posterior da cabeça, e a partir dela, são separadas as unidades foliculares.
  • FUE: A técnica de implante capilar mais atual, onde se coleta manualmente as unidades foliculares uma a uma, com um motor de rotação. Neste caso, não se retira a tira posterior, e por isso, não se tem a cicatriz característica.

Técnica de Implante Capilar FUE

Implante Capilar – Técnica FUE

Implante Capilar – Técnica FUE

Implante Capilar pela técnica FUE possui a grande vantagem de retirar as Unidades Foliculares (UF) através de micro punches, de 0,6 a 1mm. Isto gera micro cicatrizes puntiformes, que são escondidas pelo cabelo ao redor delas.

A cirurgia é portanto, menos dolorosos do que a FUT, por não necessitar daquela cicatriz linear atrás da cabeça. E ainda, essas micro cicatrizes fecham em 24-48 horas após o procedimento.

Outra grande vantagem dessa técnica, é a possibilidade de retirada das UF, em outras partes do corpo, como da barba, do tórax e do abdome, especialmente em calvícies severas, e com pouca área doadora na cabeça…

A anestesia para esse tipo de cirurgia é a Local. Pode ser acompanhada de uma sedação leve, para melhorar o desconforto de tantas horas de cirurgia, mas sem a necessidade e fazer Geral.

O paciente recebe alta após a  cirurgia, na mesma noite e a recuperação baseia-se nos cuidados com a higiene local, sem coçar ou retirar as “cascas” que se formarão. Estas cairão em torno de 1-2 semanas. Outros cuidados adicionais são as sessões de LED, que melhoram a pega dos enxertos. Estas não causam dor, melhoram o processo inflamatório e duram em média 15 minutos.

Cada cirurgia promove a colocação de aproximadamente 1500 a 3000 UF, que podem chegar de 2500 a 7000 fios, dependendo da proporção de unidades com 1, 2 ou 3 hastes capilares.

Novas sessões geralmente são realizadas após um ano e meio, caso o paciente queira preencher mais a área clava, que varia de uma paciente para outro.

Paciente durante o implante capilar através do método FUE.

Técnica FUE de implante capilar

Pós-operatório do implante capilar

  • Pós-operatório: as unidades foliculares, sofrerão a queda do cabelo em 30-40 dias.
  • Terceiro mês: começam a aparecer os novos pêlos, com uma velocidade de crescimento de aproximadamente 1cm ao mês.
  • Sétimo ou oitavo mês: é quando o paciente estará efetivamente visualizando o resultado do implante capilar, embora ainda cresçam novos cabelos até 18 meses.

Outras sessões complementares geralmente são necessárias, dependendo do grau da calvície.

Como a calvície é progressiva, não se deve parar as outras modalidades de tratamento, mesmo após o transplante capilar. Elas servem para “reduzir” a velocidade da queda do cabelo, já que os fios implantados não sofrerão queda pela a ação da DHT.

Principais dúvidas sobre o implante capilar

Qual a causa da calvície?

As causas da calvície são variadas e a cada paciente deverá ser tratado de acordo com a sua etiologia. A Alopécia Androgenética (AA) é uma predisposição genética, sendo a causa mais comum, que se inicia após a puberdade.

Quais os tratamentos para a Calvície?

Existem diferentes tratamentos para a Calvície: laser de baixa potência, tópico, via oral e a cirurgia. O ideal é a combinação deles.

A Cirurgia de Micro-Implantes Capilares acabou de vez com os antigos estigmas dos “cabelos de boneca”. Geralmente realizada com anestesia local  e sedação, o cirurgião procede à coleta das unidades foliculares e suas assistentes as refinam ao microscópio, para então serem colocadas nas regiões sem cabelo.

São colocados folículos com 3, 2 e 1 hastes de cabelo, sendo estas, as preferidas para a linha anterior, de forma que elas fiquem menos perceptíveis, e os resultados mais harmoniosos.

A primeira técnica é a FUT, onde retira-se uma tira de couro cabeludo da região posterior da cabeça, e a partir dela, são separadas as unidades foliculares. A técnica mais atual, é a FUE, onde se coleta manualmente as unidades foliculares uma a uma, com um motor de rotação, neste caso, não se retira a tira posterior, e por isso, não se tem a cicatriz característica.

A técnica FUE de implante capilar não deixa cicatrizes?

A Técnica FUE, ao invés do muitos pensam, também deixa cicatrizes na área doadora dos folículos pilosos… no entanto, estas são muito pequenas, puntiformes! Elas ficam encobertas pelos fios de cabelo existentes ao redor delas.